Implantes dentários são micro cilindros de titânio que são colocados no lugar dos dentes perdidos, portanto, substituindo as raízes destes dentes.

Dúvidas comuns:

Qual a anestesia usada para colocação dos implantes dentários?
Utiliza-se anestesia local (a mesma utilizada para fazer restaurações dentárias).

É um procedimento doloroso?
Não, é um procedimento extremamente tranqüilo, indolor e rápido sendo possível fazer um implante em pouco mais de 15 minutos.

Todos podem receber implantes?
Não há casos de contra-indicação absoluta, mas os pacientes diabéticos com a glicemia descompensada e pacientes com doença periodontal aguda sem tratamento são as maiores contra-indicações. O profissional saberá avaliar o paciente.

Se eu tiver pouco osso posso fazer implantes dentários?
Sim, mas precisará utilizar-se de procedimentos de enxertia que hoje apresentam alto índice de sucesso e segurança podendo ser feitos em grande parte com anestesia local no próprio consultório.

É necessário algum exame prévio?
Sim. Além da avaliação cuidadosa clínica, exames básicos de saúde (que podem ser solicitados por seu médico de confiança ou pelo implantodontista), exames radiográficos (tomografia, panorâmica, etc), modelos de gesso dos dentes ou arcadas e em casos mais complexos pode ser solicitada prototipagem (modelo da área a receber os implantes,confeccionado a partir da tomografia).

O que é PRP?
PRP significa plasma rico em plaquetas sendo um procedimento onde utiliza células do sangue do próprio paciente colocando na enxertia óssea. Com isso há uma aceleração da cicatrização do enxerto e implante.

O que é PPP?
PPP significa plasma pobre em plaquetas sendo utilizado o restante da coleta sanguínea do paciente, também colocado na enxertia óssea como membrana para auxiliar a cicatrização da gengiva.

O que são implantes zigomáticos?
São implantes específicos para pacientes com pouco condição óssea para colocação de implantes convencionais, e que não podem ser submetidos à cirurgia de enxertia óssea.

Custa caro implantar um dente?
O valor pode variar, mas é um procedimento com boa relação custo X benefício.

PROTOCOLO CARGA IMEDIATA

Reabilita o paciente em até 24 horas com próteses com qualidade estética e funcional reabilitando a parte gengival e dentária simultaneamente. Este tipo de técnica é uma alternativa de tratamento, mas seus princípios devem ser bem indicados.

IMPLANTE CARGA IMEDIATA

carga imediata é uma técnica onde faz-se a instalação dos implantes dentários e a colocação da peça protética no mesmo momento, diretamente sobre os implantes recém-instalados.

No método da carga imediata não há a espera para a cicatrização e a prótese já é instalada na mesma consulta da instalação dos implantes. No método tradicional – carga tardia – o tempo de aguardo da cicatrização dos implantes varia de 4 a 6 meses, sendo necessária a instalação de uma prótese provisória não apoiada diretamente nos implantes. O que define se o paciente tem condição de receber a carga imediata é o planejamento do tratamento associado à condição óssea no local dos implantes.

IMPLANTES ZIGOMÁTICOS

Os implantes zigomáticos podem ser utilizados em procedimentos cirúrgicos na reconstrução de maxilas severamente reabsorvidas visando eliminar ou minimizar necessidades de enxertia óssea. Indicado para apoiar e reter próteses para recuperar as funções de mastigação.

As fixações longas são implantadas desde o processo alveolar, seguem tangenciando a parede lateral do seio maxilar e têm sua porção terminal alojada no osso zigomático.

A técnica acima é indicada quando:

1. O osso maxilar anterior remanescente não é suficiente para a instalação de implantes convencionais e o tecido ósseo da crista alveolar posterior tem reabsorção extensa, sendo preciso enxertos ósseos para a instalação das fixações adicionais necessárias à reabilitação.

2. Quando enxertos são necessários na região anterior e posterior, mas não se quer utilizar deste recurso para proceder à reabilitação.

3. Quando a reabsorção óssea é severa na região de pré-molares e molares em maxilas parcialmente desdentadas, em que a fixação zigomática combinada a dois implantes convencionais oferecerá suporte adequado para a reabilitação fixa.

4. Em pacientes com neoplasias maxilares tratados com remoção cirúrgica, resultando em maxilectomias parciais ou totais, nos quais o remanescente da dentição pode ser utilizado efetivamente para a retenção de um obturador maxilar apoiado em implante convencional ou de zigomático.

PRÓTESE ABOTOADA

Muitas pessoas usam próteses totais (dentaduras) mas estas próteses proporcionam um a mastigação insatisfatória. Há estudos que determinam uma redução de até 70% na capacidade mastigatória em pacientes que utilizam prótese total. Quanto mais cedo as pessoas perdem os seus dentes, maiores problemas elas terão na fixação das suas próteses com o passar dos anos.

As próteses totais estilo dentadura são instáveis e desconfortáveis, e é sabido que as inferiores possuem menor fixação do que as superiores. Mas nas próteses abotoadas elas utilizam a fixação sobre implantes, dando-lhes maior estabilidade e retenção. Estas fixações são feitas através de encaixes do tipo macho-e-fêmea. Mas as próteses abotoadas não são fixas, são encaixadas sobre os implantes, devendo ser removidas para higienização. Além disso elas não são totalmente estáveis, mas muito mais confiáveis do que a dentadura convencional. É possível a confecção de prótese abotoada com apenas 2 implantes dentários.

Outras dúvidas:

Qual a vantagem da prótese abotoada?

Por utilizar apenas 2 implantes com fixação, possui um custo baixo proporcionando uma boa estabilidade à dentadura além de maior segurança aos pacientes para comer, sorrir e falar. É um procedimento rápido, simplificado e com custo acessível.

Qual a diferença entre prótese abotoada e prótese fixa sobre implantes dentários?

A prótese fixa sobre implante requer pelo menos 4 implantes, o que torna o tratamento mais oneroso e complexo. É uma excelente opção, mas nem sempre é viável para todas as pessoas por depender de uma condição bucal propícia.

Mas a prótese abotoada também pode servir como uma etapa para a confecção da prótese fixa, já os implantes utilizados na prótese abotoada serão utilizados na prótese fixa.

Como escolher: prótese abotoada ou prótese fixa sobre implantes?

A escolha se baseia no custo X benefício, ou seja, se o paciente quiser melhorar a qualidade funcional e estética gastando menos, a solução é a prótese abotoada, mas se quiser um trabalho de prótese fixo e mais complexo, deve optar pela prótese fixa sobre implante.

É possível confeccionar prótese abotoada sobre dentes?

Sim. Se a condição clínica das raízes dentárias estiver adequada, elas funcionarão como implantes. Serão colocados os encaixes diretamente sobre as raízes e a prótese total “abotoará” sobre eles. Mas a higienização impecável nestas raízes é imprescindível para a longevidade do tratamento.

Os exames para colocação de implantes e próteses são complexos e caros?

Não, nem complexos nem caros. São exames radiográficos de baixo custo. Pode ser solicitada uma tomografia da região provável para a colocação dos implantes, hoje em dia o custo da tomografia odontológica está bastante acessível. Alguns exames de saúde podem ser necessários dependendo de cada paciente. Sendo exames bastante comuns em geral podendo ser feitos através do seu convênio médico.

Rejeição

E sobre a “rejeição”? O que é?

O termo adequado não é rejeição mas sim a não-osseointegração. Os implantes são feitos de titânio, um material inerte ao corpo humano que é amplamente utilizado na medicina então o titânio não é capaz de causar rejeição. A rejeição é uma reação do sistema imunológico do corpo humano a um corpo estranho. Não é o que acontece quando há a não-osseointegração. Então, quando o implante não osseointegra significa que a região ao redor do implante não foi capaz de formar osso para aderir ao implante. Então o implante não fica estável e não pode ser utilizado para colocação de próteses.

O que fazer quando ocorre a não-osseointegração?

Simplesmente o implante é removido e colocado outro no lugar.

Qual a chance do implante não osseointegrar?

A probabilidade é diferente da maxila e da mandíbula. A probabilidade da não-osseointegração na maxila é 5% e na mandíbula é 3%.

Comentários desligados

  1. Prótese dentária - Saude Implantes 16 de agosto de 2020 at 10:12

    […] e até respiramos. Como cada caso é diferente, atualmente, a odontologia tem vários tipos de implantes e próteses dentárias para atender a todas as […]


  2. Perdi alguns dentes e agora? - Saude Implantes Saude Implantes 16 de agosto de 2020 at 12:30

    […] um único dente ou quando forem múltiplos e, até mesmo, a reabilitação completa da dentição. Implantes, próteses fixas, próteses removíveis, ortodontia (aparelho) e reconstruções estéticas são […]



  3. Dor de dente: o que fazer? - Saude Implantes 18 de agosto de 2020 at 23:31

    […] terço cervical, onde a fratura ocorre logo no início do osso e gengiva, muitas vezes o tratamento para este dente será o tratamento de canal e a reabilitação protética, mas pode ser necessária a substituição deste dente por implante; […]


Comentários fechados.